Já sabe o que fazer com a restituição do Imposto de Renda? Confira algumas dicas para não errar na escolha.

20 de maio de 2022


 

A restituição do Imposto de Renda é a devolução de valores pagos a mais em tributos pelos contribuintes e no próximo dia 31, a Receita Federal começa a pagar a restituição do ano-calendário 2021.

O pagamento será feito em cinco lotes conforme demonstrado a seguir:

1º lote: dia 31 de maio;

2º lote: dia 30 de junho;

3º lote: dia 29 de julho;

4º lote: dia 31 de agosto;

5º lote: dia 30 de setembro.

É importante lembrar que o valor da restituição depende não só do total de rendimentos e da faixa de renda de cada contribuinte, como também da quantidade de fontes pagadoras, número de dependentes e total de despesas passíveis de dedução.

Com a possibilidade de um dinheiro “extra” entrando na conta, muitos ficam em dúvida sobre qual a melhor forma de gastar o valor recebido: usar para quitar dívidas, investir, guardar ou gastar? Qual a opção mais adequada?

Para descobrir a melhor decisão e te ajudar a decidir, preparamos algumas dicas. Confira a seguir.

  1. Pagar dívidas:

A primeira opção que pode vir à mente dos brasileiros quando falamos sobre a entrada de um dinheiro “extra” na conta é usar o valor para quitar suas dívidas – ou parte delas.

Se essa é sua prioridade, especialistas apontam que esse dinheiro deve ser utilizado para tentar negociar principalmente dívidas de cartão de crédito, porque os juros são um dos mais altos. Para isso, procure mutirão de renegociação de créditos; muitas vezes é possível abater a dívida com um grande desconto.

Mas atenção: depois de quitar os débitos, é preciso se equilibrar e se planejar financeiramente para evitar o mesmo problema no futuro.

  1. Reserva de emergência:

Caso não possua nenhuma dívida, você pode optar por realizar uma reserva de emergência com o valor da restituição. Essa reserva serve justamente para os momentos em que você perde sua renda fixa e mensal. 

Especialistas recomendam guardar o equivalente a 12 meses da sua despesa fixa. Para isso, é preciso ter um planejamento financeiro e colocar no papel todos os seus gastos fixos, como aluguel, conta de luz, água, etc.

  1. Investimentos:

Se você for do time que gosta de investir, você pode aplicar este dinheiro em investimentos de renda fixa, por exemplo. Neste caso, o mais importante é entender o funcionamento de cada operação – para isso você pode continuar com a ajuda de um especialista da área – e lembrar que algumas aplicações geralmente tem um prazo maior para retorno, de 60, 90 dias ou até mais. Por isso, é necessário considerar se esta é realmente a melhor opção para o seu caso.

  1. Viagens, presentes e/ou investimentos pessoais:

Se nenhuma das opções apresentadas anteriormente te chamou a atenção e você quer mesmo é gastar o dinheiro da restituição o recomendado, mais uma vez, é se planejar.

Se você já tem um orçamento equilibrado, não possui dívidas, já tem uma boa reserva de emergência ou dinheiro aplicado, você pode optar por comprar um presente – para você ou para uma pessoa querida – de maior valor, trocar de celular, ou até mesmo realizar uma viagem. Se decida e aproveite!

Referência: contabeis.com.br

Se for declarar o IRPF pela primeira vez e quiser saber mais sobre o processo, clique aqui e confira um artigo que preparamos especialmente para você. Se ainda tiver dúvidas, fale com a Anacon Contabilidade. Contamos com uma equipe de profissionais altamente capacitados para te auxiliar.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Iniciar conversa
Olá como posso te ajudar?
Como podemos te ajudar?